Na UNIVESP, alunos são mantidos em isolamento ideológico contra o perigoso vírus do pluralismo

No curso de Pedagogia da Universidade Virtual do Estado de São Paulo, alunos que quiserem ter acesso ao “outro lado” da história devem se virar por conta própria.

Segundo denúncia enviada ao Escola sem Partido por uma aluna, o conteúdo da disciplina “Cultura e Educação, ministrada pelo Prof. Jean Pierre Chauvin, inclui, como material de apoio, o seguinte vídeo, da filósofa petista Marilena Chauí:

No vídeo, a partir de 8:10, a filósofa do PT aproveita para atacar a “ideologia do empreendedorismo, trazida pelo  neoliberalismo”.

Incomodada com o ataque à “ideologia do empreendedorismo”, a aluna entrou em contato com a tutora da disciplina, Patrícia Fracetto, para saber se o professor pretendia apresentar aos alunos, no decorrer do curso, outros pontos de vista sobre a questão controvertida abordada no vídeo:

Segue a resposta da tutora:

Inconformada, a aluna mais uma vez questiona se o outro lado da moeda não será apresentado:

Em sua resposta, a tutora Patrícia, depois de dar aquela enrolada básica, resolveu fazer o elogio do pluralismo, que era justamente aquilo que a aluna estava pedindo e a UNIVESP estava negando! Confira:

A aluna, contudo, não se deixou enganar pelo papo-furado, e, consciente de seus direitos, respondeu (os aplausos são do ESP):

Cansada da conversa e do disfarce, Patrícia arranca a máscara do pluralismo e assume de uma vez a verdade paulofrênica de que a UNIVESP, como as universidades brasileiras em geral, é apenas uma máquina de propaganda ideológica a serviço dos partidos e organizações de esquerda:

Moral da história: tá tudo dominado.

Open chat
1
Olá 😊 !!!! Como podemos ajudar?
Powered by